24º Programa Cuide da sua saúde:  21 Novembro de 2013

O que é o colesterol? Que tipos de colesterol existem? Sabe que o podemos encontrar em todas as células do nosso organismo?

Podcast RDP Internacional

 

O que é o colesterol? Que tipos de Colesterol existem? Sabe que o podemos encontrar em todas as células do organismo?

Existe a ideia generalizada de que as gorduras são más para a saúde e que são causadoras de doenças cardiovasculares. Na verdade, as gorduras (lípidos) são nutrientes fundamentais da nossa dieta e são importantes, nomedamente por constituirem a maior reserva corporal de energia, pelo isolamento térmico que propiciam, por fazerem parte da estrutura das membranas celulares e também por serem fundamentais para a síntese de diversas hormonas.

Exemplos de lípidos:

• Triglicéridos: forma em que a energia é armazenada no tecido adiposo

e muscular.

• Fosfolípidos: formam a bicamada, estrutura básica das membranas

celulares.

• Colesterol: O colesterol é obtido a partir da dieta, exclusivamente de fontes animais, não existindo no Reino Vegetal.

O colesterol é uma gordura produzida pelo organismo, sobretudo pelo fígado (cerca de 70%), e que é essencial na formação de membranas celulares, presentes no coração, músculos, esqueleto, intestinos e sistema nervoso. Apenas cerca de 30% do colesterol provém de fontes alimentares, nomeadamente de gorduras saturadas, tais como carnes vermelhas, carnes gordas, produtos de charcutaria, lacticínios gordos, gorduras hidrogenadas (como a banha, margarina ou manteiga), o restante é produzido no organismo.

Os produtos mais geradores de colesterol são as gorduras hidrogenadas, ou Trans presentes nos produtos processados, de pastelaria e nos produtos que se conservam por muito tempo nas prateleiras e o açúcar.

A alimentação pode não influenciar o colesterol, mas os triglicéridos: outro tipo de gordura no sangue. Parece que a principal gordura associada ao consumo alimentar são os triglicéridos, que estão associados ao consumo de açúcares e de hidratos de carbono, que constituem um risco para a diabetes e para as doenças cardiovasculares.

As pessoas com fígado gordo (Esteatose Hepática) tem maior probabilidade de terem níveis elevados de colesterol no sangue; As pessoas magras também têm colesterol, muitas vezes por ser sintetizado em excesso pelo fígado e não tanto por causas alimentares. Os próprios vegans e vegetarianos também podem apresentar taxas elevadas de colesterol, mesmo não consumindo gorduras animais. O problema parece estar no metabolismo dos lípidos.

Existem alguns fatores que propiciam o aparecimento de colesterol, tais como a hereditariedade (história/ antecedentes familiares): colesterol de origem hereditária e o sexo: maior incidência no sexo masculino; sendo o tipo de dieta alimentar rico em gorduras saturadas, a principal causa do aparecimento de colesterol.

O colesterol pode ser assintomático, até ser identificado em análises; mas apesar de silencioso, pode dar dores de cabeça, tonturas ou zumbidos nos ouvidos; O colesterol pode ser um sintoma e não apenas a causa das doenças cardíacas.

Ácidos gordos Ómega 3 e o Colesterol

Constatou-se que os Esquimós apresentam uma baixa mortalidade por enfarte do miocárdio, quando comparados com a taxa europeia, apesar de ambos terem uma alimentação rica em gorduras. A questão está relacionada com os hábitos alimentares: enquanto que a gordura ingerida pelos Esquimós provém de peixes, como o salmão do Mar do Norte, rica em ácidos gordos poinsaturados EPA (ácido eicosapentanóico) e DHA (ácido docohexanóico), a alimentação dos países europeus é excessivamente rica em ácidos gordos saturados (gorduras más) e pobre nos referidos ácidos gordos saturados polinsaturados (gorduras saudáveis), o que aumenta o risco de doenças cardiovasculares.

Assim, uma dieta rica em gorduras saturadas, proveniente de enchidos, carnes vermelhas, margarinas, aumenta os níveis de colesterol e de triglicéridos, que se depositam nas artérias (formam a placa de ateroma, diminuem o fluxo sanguíneo, aumentam risco de coágulos) e que aumentam o risco de doenças cardiovasculares.

 

Os Ovos e o Colesterol

Contrariamente á ideia que se criou, o ovo é um alimento Saudável. O mito criado na sociedade, de que os ovos aumentavam o colesterol e fomentavam por isso o aumento das doenças cardíacas, levou á diminuição do consumo de fosfolípidos e aumentou por isso o número de doenças cerebrovasculares, cardiovasculares e problemas de memória, concentração e atenção. Uma das melhores formas de aumentar os níveis de fosfolípidos no cérebro é através do consumo de ovos, que, apesar de terem colesterol, são gorduras essenciais, pois beneficiam o organismo e a função cerebral (não fosse o cérebro constituído por uma elevada quantidade de gorduras).

O ovo é a mais rica fonte de Colina, que contribui para a redução e regulação da pressão arterial; Deve preferir-se ovos ricos em Ómega 3, provenientes de galinhas alimentadas com ácidos gordos ómega 3, sementes de linhaça ou óleos de peixe.

Em muitos paíse nórdicos o ovo é um dos alimentos que faz parte do pequeno almoço. Não é por acaso que, em qualquer buffet de pequeno almoço de hotel, existe uma variedade de apresentação de ovos - mexidos, cozidos, escalfados.

Colesterol Total e Risco de Doença Cardiovascular

É comum ouvir-se as expressões: “colesterol bom” (HDL), que protege o corpo e o “colesterol mau” (LDL) que é menos benéfico. É por isso importante ter níveis elevados de “bom colesterol” (HDL). Esta distinção é importante, pois tem a ver com a forma como cada um circula no sangue. O HDL, por exemplo, transporta o colesterol dos vasos sanguíneos para o fígado, enquanto que o LDL conduz o colesterol em excesso para dentro das células, que revestem as paredes dos vasos sanguíneos, o que poderá potenciar o processo de aterosclerose. Daí a importância da realização de análises clínicas para a monitorização clínica.

Exemplo de Valores de Referência

• Colesterol total <190 mg/dl

• LDL-colesterol <115 mg/dl

• Triglicéridos <180 mg/dl (com excepção dos diabéticos e dos obesos,

em que se pretendem valores <150 mg/dl)

• HDL-colesterol >45 mg/dl

O colesterol não é por si só um fator de risco cardiovascular e depende de muitos parâmetros, pois parece que só apenas associado a outros fatores de risco tem maior impacto no aparecimento de doenças cardiovasculares.

Associações Perigosas do Colesterol

O colesterol associado ao excesso de peso (alto índice de massa corporal), ao elevado perímetro abdominal (a gordura abdominal é a mais grave, por se encontrarem a maior parte dos orgãos vitais), à hipertensão arterial ou à diabetes, constitui a síndrome metabólica, que aumenta o risco de desenvolvimento de inúmeras doenças: Diabetes, Obesidade, Dislipidemias e Hipertensão arterial.

O excesso de colesterol pode ser um inimigo silencioso: Provocar Aterosclerose - Placa de gordura e cálcio nas artérias coronárias e aumentar o risco de doenças cardiovasculares e cerebrovasculares.

O desenvolvimento deste tema continua no próximo programa.

 

Cuide da Sua Saúde.