A Saúde num Copo de água

Podcast RDP Internacional

Aprenda a Escolher: Engarrafada ou da Torneira

A água é a matéria mais importante para a existência e sustentação da vida e todas as funções orgânicas (metabólicas e celulares) envolvem a presença de água. O corpo humano é constituído por cerca de 70% de água. É por isso importante a ingestão diária de água com qualidade.

 

Água engarrafada ou da torneira: Qual a melhor opção?

A qualidade da origem da água que ingerimos influencia o nosso corpo e a nossa saúde. A vitalidade da água varia de acordo com a sua proveniência: a vitalidade da água proveniente de zonas estagnadas de uma barragem é diferente da vitalidade da água de nascente. A água da rede pública, submetida a vários tratamentos físico-químicos, revela menor vitalidade.

A Água da Rede de Distribuição Pública

A água que chega às nossas torneiras é sujeita a diversos processos de tratamento (fisico-químico, mecânico), que asseguram as caraterísticas organoléticas (sabor, cheiro e aspeto) e qualidade microbiológica adequadas ao consumo humano. A água da rede de distribuição pública é sem dúvida muito mais barata. Apresenta uma composição de sais de cálcio e outros minerais, mas também vestígios de cloro e de outros produtos químicos, ainda que em doses muito reduzidas.

Águas Minerais e de Nascente

As águas minerais naturais e de nascente apresentam uma composição de maior riqueza ao nível de minerais e oligoelementos. São sujeitas igualmente a um elevado controlo microbiológico, idêntico à água da rede pública, mas apresentam melhores caraterísticas organoléticas (paladar, cheiro, cor).  São substancialmente mais caras.

Qual é o melhor tipo de água para beber?

A melhor água para beber deve ser lisa (sem gás) e o mais macia possível. As águas com propriedades macias encontram-se na região norte de Portugal, onde os solos são graníticos.

Deve preferir-se o consumo de águas pouco mineralizadas (as águas muito mineralizadas não revelam vantagens fisiológicas acrescidas e podem provocar sobrecarga, pela acumulação orgânica) e com pH mais próximo do alcalino.

 

Métodos Alternativos de tratamento da água da rede de distribuição pública

Filtragem da Água – Através de Decantadores, filtros de carvão vegetal, filtros de argila (retêm partículas) e filtros finos (filtram os detritos contidos na água).

Fervura – Colocar a água numa panela, deixá-la ferver até ao ponto de ebulição e depois de evaporar, os resíduos ficam depositados no fundo da panela. É aconselhável realizar este processo nas águas com dureza elevada ou com caraterísticas organoléticas inadequadas ao consumo.

Purificação – Processo realizado através da técnica de Osmose Inversa, em que se recorre à utilização de uma membrana muito fina, com poros muito reduzidos, que permitem aumentar a pureza da água. Estes filtros de osmose inversa poderão ser incorporados nas canalizações domésticas.

 

Recomendações para a Escolha da Água

- Deve alternar-se entre o consumo de águas minerais naturais e de nascente e a água da torneira (caso as suas caraterísticas o permitam) ou recorrer a alternativas de tratamento doméstico;

- Se optar pela água engarrafada, adquira-a em locais em que haja renovação constante de stocks (evitar alterações das caraterísticas da água pela ação de fontes de calor e de luz);

- É aconselhável consultar os rótulos da embalagens das águas engarrafadas, onde poderá verificar o grau de mineralização total (resíduo seco), conteúdo de sódio e grau de acidez da água;

- Evite o consumo de águas minerais gaseificadas (mesmo de origem gasocarbónica natural) e águas aromatizadas artificialmente;

- Compare os preços das águas minerais naturais e de nascente e analise a relação qualidade/ benefício-preço - na altura de escolher uma marca de água;

-  A escolha de águas minerais ou de nascente de “marca branca” de certos hipermercados, poderá constituir uma boa opção.

 

Para mais Informações, consulte o artigo: “A Saúde num Copo de Água” no sítio:

www.manueldafonseca.com

 

Cuide da Sua Saúde.

Até para a Semana.

Manuel da Fonseca