42º Programa Cuide da sua saúde: Fadiga Crónica, 27 Março 2014

Podcast RDP Internacional

 

Fibromialgia e Fadiga Crónica

Fibromialgia

A Fibromialgia é uma doença comum, crónica, dolorosa, muitas vezes incapacitante e de origem ainda desconhecida. Afeta sobretudo as mulheres na meia idade. Os sintomas da doença incluem além da dor - mialgia das fibras musculares (fusos neuromusculares), os distúrbios do sono, colón irritável, fadiga crónica e angústia psicológica. O sintoma mais comum é a dor muscular generalizada.

No diagnóstico da Fibromialgia tem de se ter em conta os critérios estabelecidos pelo American College of Rheumatology, em que a dor generalizada deve estar presente em todos os quadrantes do corpo, bem como no esqueleto axial, juntamente com 11 de 18 pontos sensíveis e dolorosos (ex. pescoço, ombros, região lombar, anca e joelhos).

Os sintomas da fibromialgia ocorrem vulgarmente após uma situação de stresse psicológico ou inflamatório. Outros sintomas incluem as reações alérgicas, sindrome de fadiga crónica, enxaquecas, cistite, síndrome do colón irritável, depressão e ansiedade.

 

Síndrome de Fadiga Crónica

A fibromialgia também é conhecida pelo síndrome de Fadiga crónica. Ainda que a maioria das pessoas com fadiga crónica possam não ter fibromialgia, o contrário, acontece sempre.

As pessoas que apresentam fadiga crónica também podem apresentar queixas dolorosas difusas (que por vezes se confunde com o diagnóstico de fibromialgia), com a presença de pontos dolorosos (pescoço, ombros e região lombar) em determinadas regiões. A Fadiga generalizada, especialmente de manhã ao levantar e ao fim do dia, com sintomas de prostração intensa. As perturbações do sono também são comuns. Os distúrbios emocionais também estão presentes, com uma falta de energia para desempenhar as atividades da rotina diária. Na maioria dos casos a fadiga crónica agrava com o exercício físico e com atividades aquáticas. Outros sintomas caraterísticos de fadiga crónica incluem caibras, formigueiro, inchaço nas mão e nos pés,  edemas, rigidez muscular (matinal),  ansiedade, depressão, dificuldades de concentração e atenção, sensação de cansaço permanente e perturbações do sono. Muitos destes sinais e sintomas confundem-se com a própria fibromialgia e outras doenças, pelo que se torna importante a avaliação clínica para averiguar a existência de outro tipo de doenças.

 

Nutrientes que Ajudam na Modulação dos Sintomas da Fibromialgia

Magnésio – O magnésio é um mineral essencial para todos os sistemas de transporte dependentes de energia, no metabolismo energético oxidativo, no metabolismo ósseo, na atividade neuromuscular, no equilíbrio eletrolítico e na estabilização de membrana celular. A suplementação de magnésio tem sido proposta como uma terapia para a fibromialgia, pelas suas propriedades no metabolismo muscular e no aumento da produção de ATP mitocondrial.

5-HTP – É um nutriente obtido a partir das sementes da planta africana Griffonia simplicifolia. O 5-HTP é convertido no neurotransmissor serotonina e eleva os seus níveis no organismo. É bem conhecido o papel chave da serotonina no sistema nervoso, nomeadamente na insónia e depressão.

Quercetina – É um composto do tipo Flavonóide extraído de plantas com atividade antioxidante e anti-inflamatória, prevenindo a degradação articular. Os flavonóides beneficiam o tecido conjuntivo, por prevenirem a degradação dos tecidos, diminuirem o processo inflamatório, melhorarem a circulação local e promoverem o fortalecimento da matriz de colagénio.

Rosa Canina – O fruto da Roseira brava (Rosa canina) tem propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes e tem sido utilizado no tratamento de diversas afeções, incluindo as doenças inflamatórias.

Valeriana (Valeriana officinalis) – É bem conhecida a ação da valeriana em inúmeros distúrbios do sistema nervoso. Os princípios ativos presentes na sua composição (valepotriatos e sesquiterpenos) reduzem a ansiedade, melhoram o sono, pelas suas respetivas ações tranquilizantes e sedativas.

 

Ginseng Coreano e Siberiano - Panax Ginseng e Eleuterococus senticosus – Plantas medicinais com propriedades adaptogénicas, tónicas e estimulantes, que aumentam a capacidade de resistência natural do corpo ao stresse físico e emocional, combatem a astenia física e psíquica e aumenta a resistência orgânica. O Ginseng Siberiano tem efeitos importantes como tónico e reconstituinte, contribuindo para a melhoria da nutrição em caso de convalescença.

Outras Plantas Medicinais Adaptogénicas e com Ação Tónica:

Maca (Lepidium meyeni) – tónico adaptogénico dos Andes; Astrágalo, Erva Moira, Rodiola (Rhodiola rosea) e frutos de Equisandra (Shizandra chinensis).

 

Cafeína e teofilina – constituintes estimulantes de certas plantas medicinais que promovem a Estimulação do sistema nervoso central, que podem ter benefíciis em caso de Fadiga crónica e Fibromialgia. Estas substâncias diminuem a sensação de fadiga, melhoram o desempenho intelectual e aumentam a atenção, apesar de interferirem com o sono. A Cafeína em doses elevadas origina nervosismo, insónia, agitação motora, taquicardia e até mesmo hipertensão arterial. Algumas das bebidas que contêm cafeína são o café, cola, chá, guaraná e mate e são usadas para produzir efeito estimulante, mas consumo exagerado pode originar ansiedade, cansaço e perturbações no sono. O Café (Espécies Coffea), e o Chá (Camelia sinensis) – Chá verde (folhas secas rapidamente – cor amarelada) e chá preto (folha chá fermentado) são os mais utilizados. A Cola (Noz de Cola – C. nitida) apresenta maiores quantidades de cafeína  e, em doses moderadas, pode ser útil no combate fadiga psíquica e física. Por outro lado, as semente de  Cola têm propriedades afrodisíacas, antidepressivas, diuréticas e antidiarreicas. O pó de sementes de Guaraná (Paulinia cupana) tem propriedades estimulante e afrodisíacas;

Dum modo geral, as bebidas com ação estimulante podem ter ação benéfica nalguns tipos de astenias funcionais e na fadiga crónica.

A Ginkgo biloba é uma das plantas medicinais com ação nootrópica, pois atua no sistema nervoso central e evita a perda de memória e a decadência das funções cognitivas (demência, especialmente nos idosos), constituindo um efeito neuroprotetor benéfico. No caso de existir fadiga física associada a fadiga psíquica é importante a ação vasodilatadora periférica da Ginkgo biloba.

A  Soja (Extrato Fosfolipídico) – Glycine max (fosfatidilcolina) revela também benefícios nas funções cognitivas e cerebrais.

Para combater a fadiga crónica é importante aumentar o consumo de frutas como a banana e o maracujá e a suplementação com substâncias que aumentem um aporte nutricional, tais como a levedura de cerveja, o Malte de Cevada, a geleia real, as vitaminas do complexo B e o magnésio.

 

 

Cuide da Sua Saúde.