39º Programa Cuide da sua saúde: Osteoporose, 6 Março 2014

Podcast RDP Internacional

 

Osteoporose

A osteoporose é uma doença crónica, sistémica progressiva esquelética caraterizada por baixa massa óssea e deterioração da microarquitetura do tecido ósseo, com diminuição da resistência óssea, com consequente aumento da fragilidade óssea e suscetibilidade à fratura.

Existem muitos fatores que condicionam a qualidade da massa óssea, incluindo o estilo de vida e nutrição.

A osteoporose afeta sobretudo as mulheres, especialmente após o período da menopausa, pela diminuição da concentração de estrogénios, em que existe o aumento do risco de fratura.

A carência de cálcio e Vitamina D, bem como o alto consumo de proteína animal e a ingestão inadequada de proteínas vegetais, isoflavonas e Ómega 3 podem predispor á diminuição progressiva da massa óssea e ao aparecimento da osteoporose.

Sinais e Sintomas

A Osteoporose é uma doença assintomática, apenas detetável através de rastreio ou o diagnóstico só se conforma após a ocorrência de fratura.

Principais Meios de Diagnóstico

A Osteoporose pode ser detetada através da realização de densitometria óssea, que avalia a densidade óssea ao nível da coluna lombar e na anca, onde as fraturas são mais frequentes.

Principais Grupos de Risco

Idosos, Mulheres após a Menopausa, Doentes com má absorção intestinal de cálcio, Doentes com problemas de tiróide / paratiróide, Insuficientes renais, doentes que tomam corticóides, entre outros.

Principais Fatores de Risco

Os principais fatores de risco são uma alimentação pobre em cálcio e Vitamina D e mulheres na menopausa. O alcoolismo, o tabagismo e o sedentarismo também são outros fatores de risco associados à osteoporose.

Principais Medidas de Prevenção

As principais medidas preventivas devem basear-se na adoção de hábitos de vida saudável, através de uma alimentação equilibrada, rica em cálcio, silício e vitamina D, evitando os hábitos tabágicos, o consumo excessivo de álcool, cafeína, bebidas gaseificadas, substâncias antiácidas e gorduras saturadas.

Na prevenção da Osteoporose é também fundamental a realização de atividade física diária, nomeadamente, exercícios em carga, tais como a  marcha (caminhadas), dança, exercícios de ginásio e de Pilatos. É muito importante a manutenção de uma boa postura corporal na realização das atividades diárias.

Apesar da hidroterapia e da hidroginástica se revelarem úteis para a melhoria da mobilidade articular e da flexibilidade muscular, não contribuem de forma direta para aumentar a massa óssea. Os exercícios em carga têm maior impacto no aumento da densidade óssea.

Nutrientes Essenciais para Prevenir a Fragilidade Óssea e a Melhorar a Osteopénia e a Osteoporose:

Isoflavonas de Soja – São fitoestrogénios com poderosa atividade antioxidante que têm uma ação idêntica à dos estrogénios, protegendo contra a perda da massa óssea. Existe uma relação entre os fitoestrogénios e o risco de osteoporose. Evidências a partir da constatação de que as mulheres asiáticas apresentam valores significativamente mais baixos de fraturas do quadril do que as mulheres causcasianas, pode fundamentar o papel dos fitoestrogénios na manutenção da massa óssea e da importância na suplementação nutricional.

Cálcio – É um dos minerais mais abundantes no corpo humano. O cálcio é essencial para a manutenção do metabolismo ósseo e na realização de várias funções orgânicas. A maior parte do cálcio encontra-se armazenado nos ossos e dentes, dando-lhes suporte, estrutura e dureza.

A suplementação de cálcio é fundamental para o tratamento e prevenção da osteoporose, raquitismo e osteomalácia.

Cálcio de Coral – O cálcio de coral é considerado como uma das melhores formas de assimilação orgânica de cálcio, tal como de magnésio e oligoelementos. Os corais são formados por carbonato de cálcio, que por afinidade com o fosfato de cálcio do ossos, permite uma melhor biodisponibilidade orgânica. Prova disto, foi a realização de enxertos ósseos com redes de corais em França e o sucesso clínico obtido permitiu a utilização dos corais como biomatérias para a produção de próteses ósseas.

Magnésio – É um mineral fundamental para diversas funções orgânicas, sendo um cofator para diversas enzimas. É essencial para todos os sistemas de transporte dependentes de energia, no metabolismo ósseo, na atividade neuromuscular, no equilíbrio eletrolítico e na estabilização da membrana celular.

Zinco – O Zinco está presente em todos os tecidos e fluidos do organismo. Desempenha funções estruturais, reguladoras ou catalizadoras de enzimas e na configuração de várias proteínas não enzimáticas. O Zinco é ainda importante nos processos de síntese de ADN /ARN, na divisão celular e na apoptose (eliminação de células potencialmente neoplásicas).

Silício – O silício está implicado em todas as estruturas de suporte do organismo. Está presente nos ossos, paredes vasculares, tecidos conjuntivos e na maior parte dos orgãos. O silício tem um papel essencial na formação dos tecidos conjuntivos (pele, ossos, cartilagem): contribui para a arquitetura, solidez, resistência e elasticidade dos tecidos, a par das suas ligações com o colagénio, a elastina, a queratina e os proteoglicanos; no seio da matriz óssea, o silício intervém na síntese de colagénio e dos proteoglicanos. O Silício pode também contribuir para o aumento da massa óssea e permitir a absorção e fixação adequada do cálcio na matriz óssea. A suplementação de silício pode também ajudar na regeneração das fâneras (unhas, pele, cabelo).

Vitamina D – A Vitamina D é conhecida pela sua ação na absorção e utilização do cálcio e fósforo, na medida em que está relacionada com a formação do tecido ósseo e dentário. A vitamina D pode ser produzida na pele após a exposição solar (raios UVB) ou através da ingestão de alimentos ou suplementos alimentares sob a forma de vitamina D2 ou vitamina D3 (colecalciferol), que promovem a absorção do cálcio e aumentam a sua fixação ao nível ósseo.

Vitamina K – É um tipo de vitamina que pode ser obtida através da ingestão de vegetais verdes. A vitamina K2 é utilizada como suplemento em caso de osteoporose. A vitamina K1 pode ser convertida em Vitamina K2 e atuar nos ossos. As vitamina K1 e K2 podem ser eficazes na prevenção de fraturas.

Top dos Alimentos mais ricos em Cálcio:

- Tofu Frito / Cozido (100 g contêm 1480 mg de Cálcio)

- Sementes de Sésamo (100 g contêm 670 mg de Cálcio)

- Arenque Frito  (56 g contêm 482 mg de Cálcio)

- Sardinhas enlatadas em molho de Tomate (56 g contêm 258 mg de Cálcio)

- Figos Secos (100 g equivalem a 250 mg de Cálcio)

- Amêndoas (100 g correspondem a 240 mg de Cálcio)

- Iogurte (150 g equivalem a 225 mg de Cálcio)

- Leite Inteiro (190 ml correspondem a 224 mg de Cálcio) / Leite de Soja (190 ml contêm 25 mg de Cálcio)

- Queijo Edam (28 g contêm 216 mg de Cálcio)

- Hortaliça Crua (100 g contêm 210 mg de Cálcio) 

 

 

Cuide da Sua Saúde.