Afeções do Sistema Músculo-Esquelético

A OSTEOARTRITE

A Osteoartrite é um tipo de patologia articular que afeta cada vez mais pessoas e constitui um sério problema de saúde pública, pela suas limitações funcionais associadas.

A Osteoartrite é uma doença osteoarticular de natureza degenerativa que provoca dores e rigidez muscular e que promovem o progressivo desgaste e deterioração da cartilagem articular, diminuindo a mobilidade articular e contribuindo para a diminuição gradual da qualidade de vida do paciente.

O tratamento da Osteoartrite requer, em muitos casos, o uso de substâncias farmacológicas para aliviar a dor e o processo inflamatório associado. No entanto, pode ser complementado com suplementos nutricionais, nutracêuticos e substâncias protetoras da cartilagem articular. Este tipo de substâncias permitem estalbilizar a cartilagem, retardar e inibir a sua degeneração, devido a um maior aporte de nutrientes.

A suplementação deste tipo de substâncias contribui para o alívio e redução da dor articular, diminuição da rigidez articular e no aumento da capacidade funcional.

 

Nutrientes que ajudam a lubrificar as articulações e a aumentar a flexibilidade articular:

Sulfato de Condroitina – É um dos componentes naturais e principais da matriz extracelular, promovendo a síntese de substâncias (proteoglicanos) implicados no processo de degeneração da cartilagem articular. É muito útil a sua utilização nos processos associados á degeneração da cartilagem articular; pode ser combinado com o Suulfato de Glucosamina na redução da degeneração subcondral óssea.

Sulfato de Glucosamina – Fortalece e regenera as cartilagens; melhora a mobilidade, resistência e flexibilidade articular.

Colagénio – Sendo um dos principais constituintes naturais da cartilagem articular e do tecido conjuntivo, o Colagénio (Especialmente,o colagénio Tipo II) é o nutriente por excelência para ajudar na regeneração do colagénio das cartilagens (e do tecido conjuntivo) e contribuir para a diminuição da inflamação articular.

A suplementação de colagénio pode contribuir para melhorar a dor e aumentar a mobilidade e a função articular e reduzir a admnistração de analgésicos em pacientes com osteoartrite moderada.

Para facilitar a absorção e a biodisponibilidade orgânica, deve optar-se por suplementos nutricionais que incluam na sua composição o Colagénio Tipo II Hidrolisado.

Ácido Hialurónico – É um dos componentes mais comuns do líquido sinovial e da matriz extracelular, que promove a lubrificação adequada para a articulação, permitindo a diminuição do impacto, do choque e do trauma, reduzindo também a fricção entre os ossos, bem como o desgaste das articulações.

Bioflavonóides – Os flavonóides são micronutrientes com elevada atividade antioxidante, que protegem o organismo da agressão a proteínas, membranas e lípidos, provocada pela ação dos pelos radicais livres. Dois exemplos de Flavonóides são a Naringina e a Quercitina, que revelam elevada atividade anti-inflamatória e analgésica, sendo muito úteis nos processos inflamatórios associados à osteoartrite e à Artrite Reuamtóide.

 

Suplementos Nutricionais que Ajudam nos Processos Inflamatórios Dolorosos Associados a Perturbações Ostearticulares e Músculo-Esqueléticas:

Óleo de Krill – O óleo de peixe Krill é rico em Ómega 3, ácidos gordos de cadeia longa (EPA e DHA) que revelam atividade anti-inflamatória.

Vitamina C – A vitamina é um poderoso antioxidante, que tem um papel importante na função imunitária e em vários processos inflamatórios e oxidativos, tais como a inibição da ação dos radicais livres, protegendo contra a peroxidação lipídica.

Vitamina E – A vitamina E é bem conhecida pela sua ação antioxidante (captadora de radicais livres), protegendo as membranas celulares dos danos peroxidativos.

Gengibre (Zingiber officinale) - O gengibre é conhecido pelas suas propriedades antioxidantes, evitando a produção de radicais livres; revela atividade imuno-moduladora e anti-inflamatórias. Pode ser ingerido ou aplicado localmente através de compressas, nas regiões dolorosas e inflamadas.

Harpago (Harpagophytum procumbens) – O Harpago (garra do diabo) tem como principais constituintes ativos os harpagosídeos, que revelam atividade anti-inflamatória e analgésica, sendo particularmente útil no alívio dos sintomas da artrite, nomeadamente na dor e rigidez osteoarticular.

Tanaceto (Tanacetum Parthenium) – O Tanaceto tem como principais princípios ativos as Lactonas Sesquiterpénicas, cujas propriedades estão associadas á inibição da produção de prostaglandinas, sendo por isso útil nos processos inflamatórios, pela sua atividade anti-inflamatória.

 

Fibromialgia

A Fibromialgia é uma doença comum, crónica, dolorosa, muitas vezes incapacitante e de origem ainda desconhecida. Afeta sobretudo as mulheres na meia idade. Os sintomas da doença incluem além da dor, os distúrbios do sono, colón irritável, fadiga crónica e angústia psicológica. O sintoma mais comum é a dor muscular generalizada.

No diagnóstico da Fibromialgia tem de se ter em conta os critérios estabelecidos pelo American College of Rheumatology, em que a dor generalizada deve estar presente em todos os quadrantes do corpo, bem como no esqueleto axial, juntamente com 11 de 18 pontos sensíveis.

Os sintomas da fibromialgia ocorrem vulgarmente após uma situação de stresse psicológico ou inflamatório. Outros sintomas incluem as reações alérgicas, sindrome de fadiga crónica, enxaqecas, cistite, síndrome do colón irritável, depressão e ansiedade.

No tratamento dos sintomas da fibromialgia existe uma variedade de modalidades farmacológicas e não farmacológicas.

 

Nutrientes que Ajudam na Modulação dos Sintomas da Fibromialgia

Magnésio – O magnésio é um mineral essencial para todos os sistemas de transporte dependentes de energia, no metabolismo energético oxidativo, no metabolismo ósseo, na atividade neuromuscular, no equilíbrio eletrolítico e na estabilização de membrana celular. A suplementação de magnésio tem sido proposta como uma terapia para a fibromialgia, pelas suas propriedades no metabolismo muscular e no aumento da produção de ATP mitocondrial.

5-HTP – É um nutriente obtido a partir das sementes da planta africana Griffonia simplicifolia. O 5-HTP é convertido no neurotransmissor serotonina e eleva os seus níveis no organismo. É bem conhecido o papel chave da serotonina no sistema nervoso, nomeadamente na insónia e depressão.

Quercetina – É um composto do tipo Flavonóide extraído de plantas com atividade antioxidante e anti-inflamatória, prevenindo a degradação articular. Os flavonóides beneficiam o tecido conjuntivo, por prevenirem a degradação dos tecidos, diminuirem o processo inflamatório, melhorarem a circulação local e promoverem o fortalecimento da matriz de colagénio.

Rosa Canina – O fruto da Roseira brava (Rosa canina) tem propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes e tem sido utilizado no tratamento de diversas afeções, incluindo as doenças inflamatórias.

Valeriana (Valeriana officinalis) – É bem conhecida a ação da valeriana em inúmeros distúrbios do sistema nervoso. Os princípios ativos presentes na sua composição (valepotriatos e sesquiterpenos) reduzem a ansiedade, melhoram o sono, pelas suas respetivas ações tranquilizantes e sedativas.

 

Osteoporose

A osteoporose é uma doença sistémica progressiva esquelética caraterizada por baixa massa óssea e deterioração da microarquitetura do tecido ósseo, com consequente aumento da fragilidade óssea e suscetibilidade à fratura.

Existem muitos fatores que condicionam a qualidade da massa óssea, incluindo o estilo de vida e nutrição.

A osteoporose afeta sobretudo as mulheres, especialmente após o período da menopausa (pela diminuição da concentração de estrogénios), em que existe o aumento do risco de fratura.

A carência de cálcio e Vitamina D, bem como o alto consumo de proteína animal e a ingestão inadequada de proteínas vegetais, isoflavonas e Ómega 3 podem predispor á diminuição progressiva da massa óssea e ao aparecimento da osteoporose.

 

Nutrientes Essenciais para Prevenir a Fragilidade Óssea e a Melhorar a Osteopénia e Osteoporose:

Isoflavonas de Soja – São fitoestrogénios com poderosa atividade antioxidante que têm uma ação idêntica à dos estrogénios, protegendo contra a perda da massa óssea. Existe uma relação entre fitoestrogénios e o risco de osteoporose. Evidências a partir da constatação de que as mulheres asiáticas apresentam valores significativamente mais baixos de fraturas de quadril do que as mulhres causcasianas, pode fundamentar o papel dos fitoestrogénios na manutenção da massa óssea e da importância na suplementação nutricional.

Cálcio – É um dos minerais mais abundantes no corpo humano. O cálcio é essencial para a manutenção do metabolismo ósseo e na realização de várias funções orgânicas. A maior parte do cálcio encontra-se armazenado nos ossos e dentes, dando-lhes suporte, estrutura e dureza.

A suplementação de cálcio é fundamental para o tratamento e prevenção da osteoporose, raquitismo e osteomalácia.

Magnésio – É um mineral fundamental para diversas funções orgânicas, sendo um cofator para diversas enzimas. É essencial para todos os sistemas de transporte dependentes de energia, no metabolismo ósseo, na atividade neuromuscular, no equilíbrio eletrolítico e na estabilização da membrana celular.

Zinco – O Zinco está presente em todos os tecidos e fluidos do organismo. Desempenha funções estruturais, reguladoras ou catalizadoras de enzimas e na configuração de várias proteínas não enzimáticas. O Zinco é ainda importante nos processos de síntese de ADN /ARN, na divisão celular e na apoptose (eliminação de células potencialmente neoplásicas).

Silício – O silício está implicado em todas as estruturas de suporte do organismo. Está presente nos ossos, paredes vasculares, tecidos conjuntivos e na maior parte dos orgãos. O silício tem um papel essencial na formação dos tecidos conjuntivos (pele, ossos, cartilagem): contribui para a arquitetura, solidez, resistência e elasticidade dos tecidos, a par das suas ligações com o colagénio, a elastina, a queratina e os proteoglicanos; no seio da matriz óssea, o silício intervém na síntese de colagénio e dos proteoglicanos.

A suplementação de silício pode também ajudar na regeneração das fâneras (unhas, pele, cabelo).

Vitamina D – A Vitamina D é conhecida pela sua ação na absorção e utilização do cálcio e fósforo, na medida em que está relacionada com a formação do tecido ósseo e dentário. A vitamina D pode ser produzida na pele após a exposição solar (raios UVB) ou através da ingestão de alimentos ou suplementos alimentares sob a forma de vitamina D2 ou vitamina D3.

Vitamina K – É um tipo de vitamina que pode ser obtida através da ingestão de vegetais verdes. A vitamina K2 é utilizada como suplemento em caso de osteoporose. A vitamina K1 pode ser convertida em Vitamina K2 e atuar nos ossos. As vitamina K1 e K2 podem ser eficazes na prevenção de fraturas.

Suplementos Alimentares para a Melhorar a Densidade Óssea:

Cálcio de Coral – O cálcio de coral é considerado como uma das melhores formas de assimilação orgânica de cálcio, tal como de magnésio e oligoelementos. Os corais são formados por carbonato de cálcio, que por afinidade com o fosfato de cálcio do ossos, permite uma melhor biodisponibilidade orgânica. Prova disto, foi a realização de enxertos ósseos com redes de corais em França e o sucesso clínico obtido permitiu a utilização dos corais como bio-amtérias para a produção de próteses ósseas.

Vitamina D3 (colecalciferol) – Promove a absorção do cálcio e aumenta a sua fixação ao nível ósseo.

 

Artroses, Artrites e Discopatias da Coluna Vertebral

Suplementos Alimentares para Regeneração das Cartilagens Articulares:

Glucosamina – Proveniente da carapaça dos crustáceos, aumenta a síntese de ácido hialurónico no líquido sinovial, permitindo uma melhor lubrificação das articulações.

Condroitina – Proveniente da cartilagem de tubarão, protege a cartilagem do desgaste. A condroitina e a glucosamina são substâncias que compõem a estrutura da cartilagem articular. A combinação destas substâncias previne a degradação das cartilagens e promove o aumento da produção de colagénio e a regeneração das cartilagens articulares.

Manganês – É um mineral que desempenha uma ação anti-inflamatória e regeneradora das cartilagens articulares. Outros oligoelementos, tais como o cobre e o magnésio, doseados em quantidades catalíticas, facilitam a regeneração das cartilagens articulares.

Silicio – É um mineral essencial para o reforço do tecido conjuntivo que serve de suporte para os ossos, articulações, tecido conjuntvo e pele.

Harpago – O harpago (unha do diabo) tem como principal princípio ativo os harpagósidos, que desempenham uma importante ação anti-inflamatória e analgésica.

Salgueiro Branco – É utilizado terapêuticamente como analgésico e anti-espasmódico.

Freixo – Revela Propriedades anti-artríticas e diuréticas no tratamento de doenças reumáticas e articulares.

Ómega 3 (Ácido Linoleico, EPA e DHA) – Ácidos gordos polinsaturados com propriedades vasodilatadoras e anti-inflamatórias.

Ómega 9 (Ácido Oleico) – Utilizado em conjunto com o Ómega 3, ajuda no controlo dos processos e sintomas inflamatórios associados a doenças auto-imunes e a doenças reumáticas (artrite reumatóide, lupus e fibomialgia).

 

 

Estes conselhos de saude, aliados a um alimentação equilibrada e a um estilo de vida saudável e associado à pratica de exercício podem ajuda-lo a viver melhor.

 

 

O conteúdo deste site encontra-se protegido por Direitos de Autor.

Todos os trabalhos estão registados no IGAC

- Direcção Geral das Actividades Culturais -

É proibida a reprodução, parcial ou total, sem menção da autoria ou proveniência.