Medicina Integrada no Diagnóstico e na Prevenção do Cancro da Pele

Em Portugal surgem cerca de 10 mil novos casos de cancro da pele, sendo que cerca de mil são melanomas – o cancro da pele mais agressivo e que pode provocar a morte.
Conheça as melhores formas de diagnóstico e prevenção do cancro da pele. Saiba como pode proteger a sua pele através da alimentação e dos suplementos alimentares.


Cancro da Pele em Portugal

Em Portugal são diagnosticados anualmente, cerca de 1000 novos casos de melanoma maligno, sendo este o tipo de cancro da pele com maior gravidade.
Nove em cada dez novos casos de cancro da pele derivam de uma exposição excessiva ao sol.

 

Pessoas em maior risco

Em pessoas de raça caucasiana, este é o tipo de cancro mais prevalente. Contudo, se for diagnosticado e tratado numa fase inicial, pode ser curado. Para além do diagnóstico precoce, a população tem, também, que estar sensibilizada para os fatores de risco relativos ao cancro cutâneo, que incluem: ter pele clara, com sardas e muitos sinais escuros; facilidade de queimaduras solares; exposição excessiva, intermitente ou prolongada ao sol; não usar regularmente protetor solar adequado ao tom de pele; não usar chapéu e óculos de sol; exposição solar em horas de risco (entre as 11 e as 17 horas e, principalmente, entre as 12 e as 16 horas); antecedentes familiares de melanoma ou de outro tipo de cancro da pele.

 

Exame inovador em Portugal deteta cancro na pele

Existe um novo exame – a Siascopia - que permite detetar de uma forma rápida a existência de cancros da pele. Destinado a avaliar o nível de suspeição de sinais e manchas da pele, este rastreio é realizado em Lisboa, no Life Beat – Centro de Diagnóstico avançado.
Este rastreio destina-se a avaliar o nível de suspeição de determinado sinal que constitua preocupação ao seu portador.
Está direcionado para Homens e Mulheres que possuam um sinal que considerem suspeito, ou que, por auto-observação e de acordo com a regra ABCDE, lhes mereça especial atenção:
A – Assimetria - o sinal é assimétrico e com uma forma irregular, não redonda;
B – Bordo - o sinal apresenta um contorno irregular e mal delimitado;
C – Cor - o sinal não apresenta uma cor uniforme, tem várias cores;
D – Diâmetro - o sinal apresenta um diâmetro igual ou superior a 5 mm;
E – Evolução - o sinal tornou-se proeminente em relação à pele que o rodeia: é mais duro ou aumentou de diâmetro.

Estes sinais de alarme não têm, forçosamente, de se manifestar em simultâneo. E deve comparar-se cada mancha com outras pigmentadas ou sinais já existentes com aspeto não modificado. As imagens obtidas serão analisadas por um Médico Dermatologista.
Este teste não tem como objetivo ser um diagnóstico, mas sim identificar as suspeitas de uma determinada patologia ou outra condição, prosseguindo-se posteriormente ao seu encaminhamento.
Numa consulta de Naturopatia ou numa sessão de Osteopatia (em que existe manipulação dos tecidos moles e uma maior exposição da pele), podem visualizar-se sinais com algum grau de supeita, que devem ser encaminhados para avaliação do risco de melanoma.

 

Proteção da exposição solar

Sendo a exposição solar excessiva o principal fator de risco do melanoma, deve ser feita de uma forma moderada, pois as radiações ultravioletas (UVA e UVB) em determinados períodos do dia (entre as 11 horas e as 17 horas) atingem a sua intensidade máxima e são nocivas para a pele (afetam os mecanismos de defesa da pele); o contato deve ser por isso gradual e progressivo, permitindo a habituação da pele.
No entanto, o sol pode trazer inúmeras vantagens para a saúde, desde que haja uma exposição adequada.
Ainda que o uso de filtros solares seja importante, diversos artigos referem que o uso de protetores solares de elevado índice de FPS (Fator de Proteção Solar), podem bloquear a adequada síntese de Vitamina D, porque os raios ultravioleta Beta são importantes para a síntese de vitamina D – tão imprescindível para a condição osteoarticular. Recomenda-se a exposição ao sol, cerca de 15-20 minutos antes de se colocar o protetor solar – filtro que parece inibir a absorção dos raios e a síntese de vitamina D.
O uso generalizado e permanente de óculos de sol, também parece funcionar como filtro, que inibe a absorção de luz – alimento dos olhos e que interfere com a síntese de vitamina D. Contudo, o seu uso é recomendado, como forma de proteção da exposição direta ao sol.
É importante começar por fazer curtos períodos de exposição solar, aumentando gradual e progressivamente. O ideal é fazer-se uma sensibilização ao sol ao longo do ano (bastam cerca de 30 minutos por dia). Apesar do efeito cumulativo do sol sobre a pele, uma exposição adequada pode ter inúmeros benefícios para a saúde em geral.

 

Hidratação é fundamental

É essencial o consumo de água durante todo o ano, mesmo não tendo sede, especialmente no Verão, para prevenir a desidratação da pele. Devem preferir-se as águas cujo pH seja o mais próximo do alcalino. Em caso de haver uma atividade física intensa, deve aumentar-se o consumo de água com caraterísticas hipotónicas, para permitir uma melhor absorção intestinal e um adequado balanço hídrico.

 

Nutrientes que protejem a pele

- Betacaroteno – Quando transformado em Vitamina A no organismo, auxilia na formação de melanina (pigmento da pele que ajuda à proteção das radiações UV), essencial para a proteção da pele e que contribui para a obtenção de bronzeado. Deve preferir-se a sua toma alguns meses antes do verão. Carotenóides (cenoura, abóbora, espinafres, bróculos, manga, pêssego, beterraba, papaia, abóbora, batata doce).
- Vitamina A – Essencial para a proteção e regeneração da pele (queratinização da pele); previne a desidratação da pele. Está presente no leite e derivados, fígado e ovos.
- Ácidos Gordos Ómega 3 – Ácidos gordos essenciais para o organismo; revelam ação anti-inflamatória da pele. previnem e melhoram os problemas de pele. Peixes – Salmão, atum, sardinhas, arenque e cavala.
- Licopeno - Poderoso antioxidante e fator de proteção da pele. O tomate é muito rico em licopeno.
- Vitamina D – Obtida através da ação do sol sobre a pele; auxilia na metabolização do cálcio;
- Antioxidantes – Neutralizam a ação dos radicais livres, que danificam as células (Vitaminas A, B, C, E, K, flavonóides, isoflavonas, polifenóis).
- Proantocianidinas– Poderosos antioxidantes, previnem o envelhecimento da pele. Presentes nos frutos vermelhos.
- Coenzima Q10 – Utilizada na prevenção e tratamento das afeções da pele - fator de proteção das radiações ultra violetas.
- Vitaminas do Complexo B – Essenciais à maioria dos processos metabólicos; fator de proteção cutânea (suaviza e hidrata a pele).
- Levedura de Cerveja – Muito rica em minerais e vitaminas (complexo B); tonificante; desintoxicante; antioxidante.
- Vitamina C – Antioxidante; melhora as defesas; coadjuvante na síntese de colagénio - a sua concentração diminui após a exposição solar. Usada em cremes, reduz a irritação da pele; favorece o desaparecimento de manchas de pigmentação – reduz a síntese de melanina; Citrinos – Laranja, toranja, limão, lima, quivi, romã – fornecem vitamina C – fundamental para a saúde da pele.
- Vitamina E – Melhora a elasticidade e textura da pele; hidratante; poderoso antioxidante (protege a membrana celular ao inibir a peroxidação lipídica cutânea); melhora a microcirculação cutânea; alivia e acalma a irritação e a inflamação da pele após a exposição solar; aumenta a eficácia dos protetores solares.
- Colagénio – Essencial para a regeneração da pele e para a síntese de elastina.
- Minerais: Selénio, Zinco, Cobre e Silício – Fundamentais para o equilíbrio e regeneração da pele; Antioxidantes.
- Óleos Vegetais: Borragem, Onagra, Linhaça, Soja, Grainhas de uva, Gérmen de Trigo, Jojoba, Abacate – Melhoram a estrutura da pele (equilíbrio hidrolipídico cutâneo); hidratantes; previnem e tratam diversas afeções da pele.

 

Plantas medicinais no Cuidado da pele

As pessoas com peles mais sensíveis (peles claras), devem usar cremes à base de extratos vegetais com ação calmante e regeneradora da pele (Aloe Vera, Camomila, Arnica, Alecrim, Alfazema, Hipericão, Milefólio); extratos de plantas com ação venotónica, que melhoram a microcirculação cutânea (Calêndula, Arnica, Hamamélis, Castanheiro da Índia, Centelha Asiática); extratos vegetais com ação hidratante (Rosa-de-mosqueta, Aloe Vera, Rosa Canina).

As melhores formas de prevenção do cancro da pele são a deteção e diagnóstico precoce de sinais suspeitos e a preparação da pele para o sol, evitando-se a ação direta e prolongada das radiações solares, usando fotoproteção adequada, mantendo os cuidados após a exposição solar e protegendo a pele através da alimentação e da suplementação nutricional.

Referências bibliográficas:
Plantas e Produtos Vegetais em Cosmética e Dermatologia; Cunha, Proença; Silva, Alda Pereira; Roque, Odete Rodrigues; Cunha, Eunice; Fundação Calouste Gulbenkian

 

 

O conteúdo deste site encontra-se protegido por Direitos de Autor.

Todos os trabalhos estão registados no IGAC

- Direcção Geral das Actividades Culturais -

É proibida a reprodução, parcial ou total, sem menção da autoria ou proveniência. 

Alternative flash content

Requirements

Get Adobe Flash player