A OSTEOPATIA E A PODOLOGIA 

Numa vida média de 70 anos, os nossos pés cobrem 100 mil quilómetros. Isso equivale a 2,5 voltas em torno da terra e uma média de mil e quinhentos quilómetros por ano.

Considerando o quanto os nossos pés fazem por nós, o que fazemos nós por eles em troca?

Saiba como cuidar adequadamente dos seus pés e prevenir deformações, dores articulares e nas costas, tonturas e perda de equilíbrio.

Aprenda a reconhecer a importância na escolha do tipo de calçado que usa, e as suas implicações na saúde em geral.

 

Os Pés e o Equilíbrio Postural

É reconhecida a importância dos pés no equilíbrio postural e na saúde do corpo em geral. Os pés são a nossa base de sustentação, suportam o nosso peso, permitem a nossa locomoção e a manutenção do equilíbrio da postura.

As disfunções dos pés perturbam o nosso centro de gravidade, levando a alterações posturais que alteram a perceção que o cérebro tem das diferentes partes do corpo, podendo contribuir para alterar a biomecânica geral e podendo causar diversas compensações, tais como dores nos joelhos, nas coxas e nas pernas.

O equilíbrio postural não é estático, mas dinâmico, feito de múltiplos “desequilíbrios” e variações adaptativas. O corpo oscila permanentemente alguns graus em redor do seu centro de gravidade. Estas oscilações são uma necessidade fisiológica, pois nenhum músculo poderia suportar uma imobilidade completa.

 

Os Pés como Receptores Sensoriais Propriocetivos

É ao nível dos pés que se encontram alguns dos propriocetores mais importantes, que informam o cérebro de determinadas alterações e que recebem ordens para a modificação dos efectores musculares e que inicia por sua vez uma modificação dos recetores. Estes continuam a enviar informações aos centros neurológicos e comportam-se como detetores sensitivos, funcionando em feedback.

O pé comporta dois tipos de recetores importantes para a regulação da postura – os recetores propriocetivos internos (situados ao nível dos tendões, músculos e articulações) e os recetores externos, que são barorrecetores estimulados pela pressão sobre a pele e os termorrecetores estimulados pela temperatura da pele.

É através desta “dinâmica de contacto”, desta perceção dos pés, que nos permite a interação do corpo com o solo, com o meio que nos rodeia e que nos torna capazes de executar movimentos, de captar e perceber estímulos e manter uma postura de equilíbrio.

 

Podologia – A Ciência dos Pés

A Podologia é o ramo das ciências da saúde que estuda, investiga, diagnostica, previne e trata os processos patológicos dos pés e as suas repercussões no corpo humano.

Os Podologistas ou Podiatras são profissionais de saúde da área da Podologia, que se dedicam ao estudo e tratamento dos pés, prevenindo e tratando a causa das patologias que afectam os pés.

A Podologia tem tido uma evolução na qualidade e no tipo de serviços prestados, recorrendo a novas tecnologias nos métodos de diagnóstico e aplicação de novos tratamentos, tornando-a numa área da saúde altamente especializada, que nada tem a ver com simples tratamentos de estética, como algumas pessoas pensam, por falta de informação.

 

A Importância da Saúde dos Pés

Os pés são a base fundamental de apoio, equilíbrio e funcionamento do organismo humano.

Os pés são o único ponto básico de apoio do aparelho locomotor, que assegura a posição erguida (bípede), intervindo nesta função os músculos que atuam sobre a cabeça e o tronco, as ancas e as pernas. Qualquer alteração da dita posição afeta todos os elementos que contribuem para dinâmica do corpo.

Daí se conclui que o estudo do pé não pode ser isolado do restante aparelho locomotor. Como estrutura completa que é, necessita do suporte, apoio e interacção de ciências distintas que complementam esta formação integrada.

 

As Áreas de Intervenção da Podologia

- Dermatopodologia (Alterações da pele e unhas)

- Ortopodologia (Ortopedia do pé)

- Biomecânica (Estudo estático e dinâmico do pé)

- Podologia Infantil (Tratamento dos pés das crianças)

- Podologia Desportiva (Estudo funcional do pé do desportista)

- Podologia e Pé de Risco (Pé diabético, pé reumático)

- Podologia Geriátrica (Intervenção no pé do idoso)

- Podologia Preventiva (Prevenção em diversos âmbitos: desporto, diabetes, reumatismo)

 

Problemas que a Podologia pode Tratar

- Alterações da pele: Calosidades (helomas, tilomas, hiperqueratoses); Micoses (dermatomicoses, ex. pé de atleta); Úlceras; Feridas; Gretas; Verrugas Papiloma vírus (“cravos”); Pele seca e descamativa (xeroses, desidrose); Excesso de transpiração e Mau Cheiro (hiperhidrose, bromohidrose);

- Alterações das Unhas: Unhas encravadas; Micóticas (onicomicoses); Engrossadas (onicogrifoses);

- Alterações do Pé: Alterações biomecânicas (Esporão do Calcâneo, Fasceíte plantar, Pé Cavo; Pé Plano; Pé Chato); Estudo da marcha (Caminhar incorrecto e/ou andar com dor); Deformidades dos dedos e joanetes; Dismetrias e Heterometrias (pernas de diferentes tamanhos); Palmilhas / Apoios plantares; Próteses e elementos ortopédicos personalizados;

- Pé do Adulto: Pé Reumático; Pé Vascular; Pé Neurológico; Pé do Idoso;

- Pé do Diabético: Feridas, Úlceras Típicas; Alterações Estruturais; Palmilhas Preventivas;

- Pé da Criança : Apoio incorrecto dos pés; Juntar os joelhos; Cansaço excessivo dos pés; Alterações dérmicas; Dores generalizadas; Malformações congénitas (Pé Zambo, Espinha Bífida); Palmilhas correctivas ou compensatórias;

- Pé do Desportista: Lesões e traumatismos (Entorses, Tendinites; Contusões); Estudo da Marcha; Estudo do Apoio Plantar; Palmilhas Personalizadas.

 

A Osteopatia e a Podologia

As alterações dos pés contribuem para alterações gerais que podem afectar o equilíbrio do funcionamento dos músculos, das articulações e da coluna vertebral, podendo originar dores nas pernas, dores articulares, cansaço, tonturas, alterações do equilíbrio motor e dores nas costas.

O equilíbrio do apoio plantar tem uma relação directa com a postura e contribui para a manutenção da harmonia biomecânica geral.

A Podologia, através do recurso a apoios plantares, permite a correcção de inúmeros distúrbios posturais que têm origem nos pés, tais como deformações plantares, alterações das curvaturas plantares, correcção de dismetrias e permite complementar o tratamento osteopático. E por vezes é o único recurso para corrigir dismetrias da anca e dos membros inferiores e equilibrar a biomecânica geral.

O tratamento osteopático intervém nos principais músculos que têm receptores propriocetivos (músculos paravertebrais cervicais, músculos “antigravitacionais” dos membros inferiores e da cintura) e contribui para o reequilíbrio postural.

Como os pés refletem as alterações posturais e podem ser ao mesmo tempo a causa dessas mesmas alterações, daí a importância da interação da Osteopatia e da Podologia num programa de reequilíbrio postural.

 

Cuidados Essenciais a ter com os Pés

Os pés suportam o peso do corpo e estão sujeitos a uma enorme tensão e desgaste, sendo por isso importante a implementação de cuidados básicos para prevenir deformações e outros distúrbios.

A realização de exercícios regulares com os pés, a auto-massagem e a reflexoterapia podal, ajudam a mantê-los em boa forma, como também combatem deformidades.

Tente caminhar descalço, sempre que possível, para permitir que os seus pés recuperem do confinamento imposto pelo calçado. As pessoas que andam descalças têm menos propensão para desenvolver deformidades nos pés.

Uma caminhada com os pés descalços na relva ou no chão, coloca os pés em contacto com a terra, liberta a energia eletrostática, permite o reequilíbrio energético e funciona como uma massagem natural energizante e revitalizadora.

 

A Importância do Calçado na Saúde dos Pés

O cuidado na escolha do tipo de calçado que se usa, afecta a saúde dos pés e a saúde em geral.

A maioria dos adultos desenvolve problemas nos pés, principalmente devido ao uso de calçado de tamanho inadequado, sapatos mal-ajustados ou inadequados à sua estrutura.

O calçado de material sintético deve ser evitado, pois impede a ventilação adequada dos pés e aumenta os riscos de infecções por fungos.

Os sapatos de salto alto afectam o equilíbrio e interferem negativamente com a coluna vertebral. Os sapatos rasos também não são os ideais, recomendando-se o uso de sapatos com uma cunha até 3 cm.

Deve preferir-se comprar sapatos ao fim da tarde, pois os pés estão mais dilatados e edemacidos e por isso a escolha será mais ajustada à estrutura real do pé.

O calçado deveria ser adaptado à estrutura de cada pé e não o contrário e, por isso, o ideal deveria ser usarmos calçado feito por medida, personalizado e de preferência postural.

O calçado postural é um conceito inovador, de características ergonomicamente adaptadas e que contribui para um correcto posicionamento e apoio plantar, que favorece o equilíbrio postural e que beneficia todo o sistema músculo-esquelético.

 

 

O conteúdo deste site encontra-se protegido por Direitos de Autor.

Todos os trabalhos estão registados no IGAC

- Direcção Geral das Actividades Culturais -

É proibida a reprodução, parcial ou total, sem menção da autoria ou proveniência. 

 

Alternative flash content

Requirements

Get Adobe Flash player