TERMALISMO: FONTE(S) DE SAÚDE E BEM ESTAR

Portugal é um dos países da Europa com maior riqueza em águas termais de excelente qualidade, sendo um recurso natural com raizes na Antiguidade. Atualmente é cada vez mais utilizado na prevenção e tratamento de  doenças e na promoção da saúde e bem estar. O turismo  termal está a ganhar cada vez mais adeptos portugueses e estrangeiros. Descubra as enormes potencialidades do termalismo e de que forma pode melhorar a sua saúde, bem estar e qualidade de vida.

Breves Referências Históricas do Termalismo

“…os remédios são grãos de trigo que os médicos semeiam no corpo dos doentes, e em lhes caindo alguma água mineral no tempo próprio, dão colheita certa e magnífica.” In Banhos de Caldas e Águas minerais Ramalho Ortigão

O recurso às propriedades terapêuticas  da água começou provavelmente na pré-história (2400 a.C.). O Homem, pela sua observação, percebia que os animais feridos bebiam das fontes e melhoravam rapidamente.

A Água foi considerada sagrada e os locais de onde brotava eram alvo de adoração por diversas civilizações. A doença era considerada um castigo divino e a sua cura fazia-se pela ingestão de água.

Na civilização Grega, os Balneários eram denominados Asclepias, uma homenagem a Asclepio – o Deus da Medicina. Hipócrates também reconhecia a hidroterapia e aconselhava banhos, vapores, jatos de água e toalhas molhadas quentes  como tratamento de diversas doenças. Mas foram os Romanos que mais valorizaram os atributos e potencialidades terapêuticas das águas termais, criando balneários (banhos públicos) e estâncias termais por todo o território nacional e europeu.

Na Idade Média o termalismo é abandonado devido à influência da Igreja, que condenava o culto do corpo, tendo ressurgido a partir do século XVII devido ao reconhecimento da hidroterapia na profilaxia e cura de maleitas. Agora são cada vez mais aqueles que recorrem às estâncias termais.

Surgiu também o conceito de SPA – Sanos per Aqua (Saúde pela água), termo que muitas vezes é utilizado de forma incorreta; a palavra SPA deriva do nome da cidade belga de SPA, conhecida na Roma Antiga como Aquae spadanae; outra associação à palavra SPA – como sendo um acrónimo da expressão latina Sanitas per Aqua, não parece fundamentada, mas pode ser uma analogia à utilização das propriedades terapêuticas da água.

Águas Termais: Benefícios para a Saúde

As águas termais são águas de circulação subterrânea, consideradas bacteriologicamente próprias, com caraterísticas físico-químicas estáveis na origem, dentro da gama de flutuações naturais, de aquíferos e das quais resultam propriedades terapêuticas ou efeitos favoráveis à saúde. A água termal distingue-se da água comum pela sua pureza original  e  natureza caraterizada pelos teores de substâncias minerais, oligoelementos e outros constituintes.

Em Portugal, o termalismo é praticado desde a antiguidade, especialmente no tratamento de doenças reumáticas. Podemos encontrar ao longo do território nacional (especialmente no norte e centro) vários recursos termais, com propriedades benéficas no tratamento de problemas respiratórios, digestivos, músculo-esqueléticos, doenças endócrinas e metabólicas, afeções circulatórias, problemas urinários e maleitas da pele.

Águas Termais:  Fórmulas Químicas que Curam

As águas termais conseguem induzir efeitos terapêuticos de acordo com as suas caraterísticas organoléticas, de pH e de quimismo.

Principais Tipos de Águas Termais:

Águas Bicarbonatadas; Sulfatadas; Cloretadas; Hipossalinas; Silicatadas; Gasocarbónicas.

 

Indicações Terapêuticas das Águas Termais e Respetivas Estâncias Termais

Indicações Terapêuticas

 

Estância Termal

 Afeções Reumáticas, Músculo-esqueléticas

(Situações pós-traumáticas, edematosas e álgicas)

(Águas Bicarbonatadas; Sulfúreas, sódicas, sulfatadas, cloretadas e cálcicas; Silicatadas ou Fluoretadas)

 

Afeções Respiratórias

(Rinites, Faringites, Laringites, DPOC)

(Águas Sulfúreas; gasocarbónicas ou fluoretadas)

Termas do Carvalhal; Caldas de Felgueiras; Termas de Vidago; Termas de Melgaço; Termas de Fadagosa de Nisa; Caldas de Manteigas; Termas Entre-os-Rios; Caldas de Monchique; Caldas da Rainha; Termas de Alcafache; Termas de Ladeira de Envendos; Termas de S. Pedro do Sul; Termas do Luso; Caldas da Saúde; Caldas de S. Jorge; Caldas de Monção; Caldas de Chaves; Termas da Sulfúrea; Caldas de Vizela; Monte Real; Caldas das Taipas; Caldas de Sangenil; Termas de Cabeço de Vide.

Doenças de Pele

(Seborreia e acne, eczemas crónicos, psoríase)

 

(Águas Sulfúreas; bicarbonatadas; gasocarbónicas; silicatadas e fluoretadas)

Termas do Vimeiro; Termas do Carvalhal; Termas do Vidago; Termas de Longroiva; Termas da Sulfúrea; Caldas do Cartão; Caldas de Moledo; Termas de Eirogo; Caldas de Monção; Caldas de S. Jorge;Termas de Fadagosa de Nisa; Termas de Monfortinho; Termas de Candelas; Termas de Carvalhelhos; Termas Ladeira de Envendos; Caldas de Vizela; Caldas das Taipas;

Afeções do Aparelho Digestivo

(Discinésias vesiculares, doenças hepatobiliares e gastrintestinais)

(Águas gasocarbónicas, cloretadas ou sulfatadas; Bicarbonatadas)

Termas do Vimeiro; Termas do Carvalhal; Termas de Vidago; Termas vale da Mó; Termas de Unhais da Serra; Termas de Pedras Salgadas; Termas de Monte Real; Termas de Monfortinho; Termas de Candelas; Termas de Carvalhelhos; Caldas do Gerês; Caldas de Chaves; Termas de Pedras Salgadas; 

Afeções do Aparelho Circulatório

(Varizes, hemorróidas, Hipertensão arterial)

(Águas carbonatadas, bicarbonatadas, silicatadas e fluoretadas)

Termas do Vimeiro; Termas Vale da Mó; Termas de Unhais da Serra; Termas de Cúria; Termas de Carvalhelhos; Caldas do Gerês; Termas do Luso;

Doenças Metabólico-Endócrinas

(Diabetes, dislipidemias, gota)

(Águas Bicarbonatadas; hipossalinas; gasocarbónicas e silicatadas)

Termas de S. Pedro do Sul; Termas de Fadagosa de Nisa; Termas de Melgaço; Termas de Cúria; Caldas do Gerês; Termas de Carvalhelhos;

 

Afeções Nefro-Urinárias

(doenças dos rins e bexiga; litíase úrica)

(Águas Hipossalinas,sulfatadas, cálcicas e magnésicas)

Termas da Cúria; Termas do Luso; Termas de Monfortinho;

Afeções Ginecológicas

(Águas quentes sulfúreas, sódicas e carbonatadas)

Termas do Carvalhal; Termas de Monfortinho;

 

Turismo Termal:  Uma opção de vida!

O conceito de termalismo de saúde e bem estar está cada vez mais em voga e é uma nova forma de turismo de saúde. Aliar os tratamentos termais ao bem estar, pode ser um atrativo para programas de férias nas estâncias termais. Uma opção de saúde de muitos portugueses, especialmente das faixas etárias mais elevadas, mas com tendência para se estender às mais jovens.

A conjugação dos tratamentos de hidroterapia clássica (balneoterapia, hidromassagem, ingestão de água, irrigações, banhos de imersão), com os complementares (massagens, osteopatia, aromoterapia, fitoterapia e acompanhamento nutricional) em programas de desintoxicação e programas anti-stresse, tal como acontece em muitas estâncias termais espalhadas pela Europa, é uma opção que em muito beneficia os utentes.

Os benefícios terapêuticos das águas termais, associados à componente do relaxamento e bem estar, revela efeitos extremamente positivos nos estados de stresse e ansiedade e nalgumas doenças do sistema nervoso.

A aposta no Turismo de Saúde, através de campanhas nacionais e internacionais promotoras do termalismo associado ao bem estar, pode contribuir para a melhoria da saúde e qualidade de vida da população e contribuir para a revitalização  da economia portuguesa.

 

 

O conteúdo deste site encontra-se protegido por Direitos de Autor.

Todos os trabalhos estão registados no IGAC

- Direcção Geral das Actividades Culturais -

É proibida a reprodução, parcial ou total, sem menção da autoria ou proveniência. 

Alternative flash content

Requirements

Get Adobe Flash player