A Osteopatia e a Saúde Oral

Tem dores de cabeça, no pescoço ou nas costas? Vertigens ou dores ao nível da face ou do crânio? O seu problema pode ter origem nos dentes.
Na próxima visita ao dentista, manifeste todas as queixas que apresenta, sem ser a nível dentário, pois a causa pode estar na sua boca.


A importância da saúde oral é cada vez mais reconhecida, quer por razões estéticas, quer pela sua relação com a saúde em geral.
A componente estética é cada vez mais valorizada e o recurso às consultas de medicina dentária, nomeadamente à vertente estética, branqueamento e implantologia, é cada vez maior.
Contrastando, contudo, com uma parte da população portuguesa, que, infelizmente, não tem usufrui desse tipo de tratamentos, mas que deveria ter acesso pelo menos a uma assistência dentária comparticipada ou até mesmo incluída na rede de cuidados do Serviço Nacional de Saúde.
A manutenção da saúde oral é fundamental para a prevenção de doenças características da cavidade oral, tais como periodontites, gengivites, cáries dentárias, infecções dentárias, halitose (mau hálito), etc. Mas revela maior importância para a saúde do aparelho digestivo, podendo ser a causa e/ou consequência de diversas doenças gástricas e intestinais. A halitose pode ser uma manifestação de um problema digestivo e não apenas de maus hábitos de higiene oral, mas a falta de higiene oral também pode levar a problemas da cavidade oral e do sistema digestivo.
O estado da saúde dentária também pode revelar o funcionamento de diversos órgãos e sistemas, tal como demonstra o esquema reflexológico em anexo, que estabelece essa relação. O mesmo acontece aos órgãos relacionados com os dentes que apresentam cáries ou infecções. A probabilidade de manifestarem alguma disfunção está relacionada com o estado do tipo de dentes associados. Isto porque quando um dente está infectado ou doente, o órgão que lhe corresponde no mesmo meridiano, também se torna doente. Por exemplo, quando os dentes incisivos apresentam infecções, podem prejudicar o funcionamento dos rins.
A saúde oral influencia de uma forma ainda mais abrangente a saúde do corpo em geral, podendo provocar diversas doenças, nomeadamente, nos sistemas cardiovascular (endocardites e pericardites), músculo-esquelético (artrites, ), etc.
É muito frequente a incidência de lesões dentárias relacionadas com dores articulares. Se eliminarmos o foco dentário, verifica-se melhoria das dores articulares.
Os dentes desvitalizados também podem constituir um foco de infecção, uma vez que a libertação de bactérias para a corrente sanguínea pode afectar outros órgãos do corpo.
Nos pacientes com doença oncológica, também se torna importante a extracção de todos os dentes tratados, pois constituem um foco infeccioso que pode interferir com a evolução da doença.
Outra das causas dentárias que pode prejudicar a saúde são as obturações, em que se utilizam metais tóxicos nas amálgamas, tais como o mercúrio.
Diversos estudos realizados com doentes a quem foram retiradas as amálgamas, demonstraram melhorias significativas de diversas manifestações patológicas
Existe uma relação estreita entre a articulação temporo-mandibular (ATM), a oclusão dentária (o modo como os dentes estão alinhados na arcada dentária e o modo como articula o maxilar superior e a mandíbula), a existência de cáries e infecções dentárias recorrentes e outros problemas dentários e o aparecimento de alguns tipos de perturbações músculo-esqueléticas.
Um exemplo disso é a medicina desportiva, que valoriza a condição da saúde oral, pois a existência de cáries e alterações da oclusão dentária e da ATM, podem predispor os jogadores a sofrerem mais lesões músculo-tendinosas, bem como interferir com a biomecânica das articulações (exemplo dos joelhos) condicionar o desempenho físico e aumentar a probabilidade do aparecimento de disfunções ou alterações articulares, que podem conduzir a lesões desportivas.
As disfunções na ATM (articulação responsável pela mastigação, pelo abrir e fechar da boca, pelo bocejar) podem provocar cervicalgias e lombalgias e vice-versa, pois o nosso corpo é um todo e todas as partes estão inter-relacionadas e ligadas por longas cadeias miofasciais que se influenciam intimamente.
A problemática da disfunção da ATM é bem conhecida pelos profissionais de medicina dentária, mas o seu enquadramento no contexto da saúde global (e em relação a outras queixas) é por vezes desvalorizado e direccionado apenas para a intervenção dentária. No entanto, muitas vezes o paciente não refere outras queixas, por não estarem directamente relacionadas com os dentes.
As queixas mais frequentes que estão relacionadas com as alterações da ATM podem ser a fadiga muscular, dores musculares e articulares da ATM ao mastigar, espasmos musculares, dores na face, dores de cabeça, dores de ouvidos e dores na nuca e pescoço.
As causas mais comuns que originam este tipo de alterações da biomecânica da ATM podem estar relacionadas com alterações da oclusão dentária, o uso de aparelhos ortodônticos e os desequilíbrios posturais, tais como do apoio plantar, dismetrias, desnivelamento da anca e subluxações das vértebras cervicais.
Outros factores importantes são as alterações dos estados emocionais, tais como o stresse, ansiedade, depressão e a tensão nervosa e muscular (psicossomatização), que geram uma elevada tensão nos músculos do pescoço, ombros e região cervical e que podem interferir com a ATM. O contrário também pode acontecer, pois as alterações da oclusão dentária, da ATM e o bruxismo (ranger dos dentes) geram elevada tensão muscular nas mesmas regiões.
As disfunções da ATM têm repercussão sobre a oclusão dentária, sendo necessário proceder à correcção do posicionamento dos dentes com recurso a aparelhos ortóticos ou uso de goteira de oclusão.
A ausência de dentes em determinada zona da arcada dentária também pode influenciar o modo de mastigar e gerar alterações no equilíbrio da biomecânica da ATM.
A existência de dentes inclusos, tais como os sisos, podem gerar dores nevrálgicas para a face e crânio, que podem aumentar a tensão muscular da região da articulação, cabeça e pescoço.
Numa consulta de medicina dentária, procede-se a anamnese (história clínica) desde a infância, sendo importantes todos os estadios de desenvolvimento, tais como a amamentação, história da evolução dentária, desmineralizações, infecções da cavidade oral, amigdalites, otites, etc.
Na observação clínica, é importante identificar se há queixas de dores musculares ao mastigar, se os movimentos mandibulares são assimétricos, se há ruído ou crepitação articular, se existe dor orofacial, otalgias (dores de ouvidos), acufenos ou perda de audição, tonturas ou enxaquecas, que podem ser reveladores de desordens na ATM.
É importante realizar-se a palpação da articulação e dos músculos da face, pescoço e da região cervical e identificar-se "pontos de gatilho".
O diagnóstico de osteoartrites ou osteoartroses da ATM pode estar relacionado com a pré-existência de doenças reumáticas, doenças auto-imunes e poliartrites.
A história clínica dentária pode ser importante para perceber a evolução da oclusão dentária e avaliar a necessidade de implementação de medidas.
A recomendação do uso de goteira nocturna para a correcção da ATM ou o encaminhamento para uma consulta de osteopatia são algumas das soluções para resolver este tipo de disfunções.


Como a Osteopatia pode ajudar?
A osteopatia considera o corpo humano como um todo, como uma unidade complexa em que qualquer tipo de distúrbio ocorrido nalguma parte do corpo, pode manifestar-se em qualquer outra zona do corpo e ter repercussões na sua totalidade.
Nesta perspectiva holística, um distúrbio músculo-esquelético como é o da ATM, pode afectar a biomecânica e o equilíbrio do corpo em geral.
Na abordagem osteopática, os distúrbios da ATM interferem negativamente com as estruturas e funções de outras partes do corpo, provocando um distúrbio ou patologia. Isto porque " a estrutura governa a função" e os distúrbios noutras partes do corpo podem originar alterações da estrutura, pois "as funções também podem governar as estruturas".
A intervenção osteopática pode contribuir para o desbloqueio da ATM, através de técnicas de manipulação e mobilização articular e cervical, libertando e corrigindo a amplitude de movimento.
A aplicação de técnicas de relaxamento muscular ao nível da ATM, da musculatura paravertebral cervical e ombros e correcção de curvaturas da coluna vertebral, pode contribuir para a analgesia (diminuição da dor) e para a melhoria da qualidade de vida do paciente.
O papel do osteopata na detecção precoce deste tipo de alterações dentárias e o encaminhamento para as especialidades da medicina dentária, odontologia ou estomatologia, é fundamental e pode ajudar a diminuir as queixas do paciente.

A Abordagem Holística
" A boca não pode ser vista exclusivamente como um aparelho mastigatório, mas sim como uma estrutura complexa, que interfere com muitos sistemas orgânicos " afirma a odontologista Fátima Câncio, directora clínica do Centro Odontológico "Cedon", onde existe um conceito de interdisciplinaridade, numa equipa de odontologia e osteopatia integrada, onde se realiza um diagnóstico funcional integrado e o planeamento da intervenção conjunta.
Este conceito de medicina dentária integrada tem contribuído para atenuar algum tipo de sintomatologia apresentada pelos pacientes, tais como otalgias (dores de ouvidos), neuralgias e nevralgias faciais e cranianas, cervicalgias, cefaleias e enxaquecas. Existem pacientes que recorrem ao relaxamento muscular e ao tratamento osteopático, antes ou depois de realizarem alguns tipos de tratamentos dentários.

A prevenção pode ser o melhor remédio
A avaliação de um paciente numa perspectiva holística pode identificar e correlacionar diversos sintomas e manifestações e contribuir para a detecção precoce de determinadas alterações patológicas e o seu encaminhamento para as respectivas especialidades.
É importante perceber-se a importância dos problemas dentários como geradores de diversas doenças, sendo a prevenção a melhor forma de os evitar.
Consulte regularmente o seu dentista e o seu osteopata. Eles poderão contribuir para a prevenção e tratamento de diversas doenças que podem afectar a sua qualidade de vida.

 

 

Para mais informações:
Centro Odontológico – Telefone: 218481330
www.cedon.pt

 

 

O conteúdo deste site encontra-se protegido por Direitos de Autor.

Todos os trabalhos estão registados no IGAC

- Direcção Geral das Actividades Culturais -

É proibida a reprodução, parcial ou total, sem menção da autoria ou proveniência. 

 

Alternative flash content

Requirements

Get Adobe Flash player